A segunda degustação de vinhos espanhóis da Mundovino Brasil, no espaço Cardamomo Enogastronomia, foi para os integrantes da Confraria Bon Vin 



e mostrou a versatilidade de harmonização dos cinco exemplares da caixa The Wine Gurus, da Casa Rojo, e de dois vinhos de autor.




Para harmonizar os dois primeiros vinhos, o chef Colman Knijinik serviu duas tapas: de camarão ao curry e de atum fresco com brie



E de atum fresco


Os confrades puderam comparar a atuação do Gordo Del Circo, que harmoniza muito bem com mariscos, salada com aves, queijos frescos, atum e frutos do mar frescos



E do La Marimorena, que combina perfeitamente com carnes brancas, mariscos, polvo, ceviche, currys e frutos do mar empanados ou ensopados



A segunda etapa das tapas, começou com uma de tomates frescos e outra de queijo brie com cebolas carameladas



As possibilidades de harmonização foram os vinhos de autor



O Cavalls é perfeito para acompanhar legumes grelhados, tortilla de batata, ensopados, carnes de aves e cordeiro grelhado  



O Casa del Rojo harmoniza com queijo brie, risotos de açafrão e de cogumelos, ragu de cordeiro ou gado com especiarias, carnes ensopadas




O prato principal foi um ragu de cordeiro com risoto de açafrão e cogumelos




O teste de harmonização foi com o vinho tinto Invisible Man, que combina com carne de porco, presunto ibérico, aves, moqueca, cordeiro grelhado, queijos camembert e pecorino, massas e risotos.



E com o MMM Macho Man Monastrell, perfeito para acompanhar  carne de gado e de cordeiro grelhadas, queijo de ovelha curado, queijo parmesão, ragu de carne com especiarias



Para finalizar, uma musse de chocolate meio amargo com crocante de castanha e chocolate quebrado



A força do chocolate foi equilibrada pelo vinho tinto Maquinon, que harmoniza, ainda, com carne de gado e cordeiro grelhados, embutidos suaves, queijo brie, camembert e chocolate.



Vinhos espanhóis, importados pela Mundovino Brasil foram as estrelas do jantar assinado pelo chef Colman Knijinik no espaço Cardamomo Enogastronomia, de Fabiana Aguinsky. A degustação apresentou aos convidados cinco rótulos da caixa Wine Gurus, de diferentes regiões da Espanha, elaborados pela bodega Casa Rojo e dois vinhos de autor.



A recepção foi com a cava Perelada Brut Nature



O jantar teve início com purê de maçã, camarões empanados em farinha panko e geleia de pimenta.



Com essa entrada foram oferecidos dois vinhos:



La Marimorena, um vinho branco de Rias Baixas (Galícia) de uvas alvarinho, fresco e frutado.



E El Gordo Del Circo, um varietal de uvas verdejo.



O segundo prato, queijo brie acompanhado de cebolas carameladas, minifolhas de rúcula e laminas de amêndoas tostadas.



Harmonizado com o tinto Casa Del Rojo, de uvas Monastrell



E com o Cavalls, elaborado com 80% Garnacha Tintorera, 20% Monastrell



Polenta com pistache, filé com molho de vinho, presunto parma e queijo de cabra foi o prato principal



Harmonizado com Tha Invisible Man, tinto elaborado com uvas Tempranillo 




E o tinto MMM Macho Man Monastrell Jumilla, varietal de Monastrell




Para harmonizar com o mil folhas de chocolate e morango



Maquinon 2014, com uvas Garnacha



O cardápio foi preparado pelo chef Colman Kinijnik



E a degustação foi conduzida pelo diretor da Mundovino Carlos Migues, a consul do Uruguai, Karla Beszkidnyak, e o consul da Espanha, José Pablo Alzina







Tudo começou com uma noite insone e resultou em uma produção gastronômica. Acordada desde às 4h da manhã, resolvi levantar e aproveitar o tempo preparando algumas delícias.



Minha primeira providência foi preparar um doce de tirinhas de casca de bergamota em calda.



Usei o doce como cobertura de uma cuca alemã.



Aproveitei a massa e fiz uma cuca de banana com farofinha de canela.



E já que estava, literalmente, com a mão na massa, preparei uma rosca de batata doce.



Para quem quiser experimentar a cuca, aí está a receita. Coloque o recheio que mais gosta.


Cuca alemã


2 ovos
125ml de leite
125ml de água
2 colheres (sopa) de suco de laranja
60g de açúcar
25g de banha
25g de nata
½ colher (chá) de noz-moscada
20g de fermento biológico seco
650g de farinha de trigo
½ colher (sopa) de sal

Farofa


½ xícara de farinha de trigo
½ xícara de açúcar
½ colher (chá) de canela em pó
1 colher (sopa) de manteiga

1. Para a massa, amorne o leite com a água, a banha e a nata. Reserve.
2. Misture a farinha de trigo com o fermento, o sal e a noz moscada.
3. Junte os ovos e a mistura de leite, aos poucos, sovando até que fique uma massa lisa.
4. Cubra com um plástico e deixe crescer até dobrar de volume.
5. Sove novamente e coloque em duas formas de bolo inglês.
6. Coloque o recheio de sua preferencia.
7. Misture os ingredientes da farofa e distribua sobre o recheio.
8. Leve ao forno preaquecido, a 200 graus, por cerca de 40min.




São chefs de diferentes locais com diversas culturas e ingredientes que, unidos, prepararam cardápios especiais para os jantares magnos do Mesa ao Vivo RS, promovido pela revista Prazeres da Mesa e Senac RS.



Primeiro jantar


No Beta Food, a ideia era de um Lounge Dinner, harmonizado com cervejas.



O início foi com uma colher de beterrabas, lulas e labneh (coalhada seca) da chef Arika Messa. Harmonizada com a cerveja Portoalegrense Helles.




A segunda entrada, croquete de leitão recheada com camarão, maionese de abacate e queijo serrano em envelope de pele de cebola, do chef Floriano Spiess. A harmonização recomendada foi com a Babel Cornucopia.



O primeiro prato principal foi preparado pelo chef Thomas Troisgros: palmito azedo com manteiga de tucupi e queijo tulha, harmonizado com Hunsrück Bock.



O segundo prato, pirarucu, ervas e cogumelos, do chef Felipe Schaedler, harmonizado com Heilige Porter.



O terceiro prato, raviolone de costela defumado, molho de nata fresca e linguiça artesanal, do chef Carlos Kristensen. A harmonização foi com Seasons Wallace.



A primeira sobremesa, da chef Neka Menna Barreto, foi cuscuz de chia com manga e cumaru, harmonizada com Mooca Weiss.



A segunda sobremesa, bergamota e macaron de coco, da chef Andrea Schein, harmonizada  com Sagrada Wit.

Segundo jantar


No PPKB Kitchen & Bar, harmonizado com espumantes e vinhos brasileiros



A primeira entrada foi um tartar de carne crua, beterraba, picles de salsão e queijo pecorino, do chef Carlos Bertolazzi, harmonizado com espumante Aurora Pinot Noir.



A segunda entrada, fatias de pernil adobado e salada de batatas com ervas, do chef Checo Gon zales, harmonizado com espumante Peterlongo Presence Brut.



Terceira entrada, sururu ao leite de coco com farofa de manteiga de garrafa, do chef Wanderson Medeiros. O prato me levou de volta ao Nordeste, onde morei. Harmonizado com espumante Aurora Pinot Noir.



O primeiro prato principal foi com batatas defumadas, salsinha, cogumelos e nirá, do chef Vico Crocco, harmonizado com Pizzato Chardonnay.



O segundo prato, atum de sol com farofa de shissô, mousseline de inhame com queijo coalho, nori e brotos de coentro, preparado pelo chef André Saburó, harmonizado com Dal Pizzol Pinot Noir.



 O terceiro prato, costela desossada de porco gris caramelizada com mostarda de crem, farofa de banana e urtigão cotto, elaborado pelo chef Rodrigo Bellora, do restaurante Vale Rústico. A harmonização foi com Lídio Carrero Elos Touriga Nacional Tannat.



A sobremesa foi um delicioso bolo de coco gelado com compota de frutas frescas e especiarias, preparado pela chef Carole Crema, harmonizado com espumante Moscatel Garibaldi.