Fundador do Slow Food abre Mesa ao Vivo em Porto Alegre

Com uma palestra de Carlo Petrini, fundador do movimento Slow Food, foi aberto ontem, no Senac, o Mesa ao Vivo Rio Grande do Sul, que tem como tema Inovação x Tradição: Pampa, Serra e Mar. O evento, que tem a realização da  revista Prazeres da Mesa, marcou também o lançamento do aplicativo Slow Food Planet, que reúne dicas de onde comer,  comprar e passar o tempo livre, seguindo os preceitos do movimento.



Assistir a uma palestra de Carlo Petrini torna mais compreensível porque o movimento Slow Food conquistou mais de 100 mil seguidores em todo o mundo e o motivo que leva Petrini a ser considerado quase que um herói moderno. A filosofia defendida com paixão pelo italiano é simples e valiosa: que o alimento seja bom, limpo e justo.
O que quer dizer isto? Que seja o mais saudável possível e de boa qualidade, livre de agrotóxicos, e que o produtor receba por ele o preço justo. Parece uma meta fácil, mas ainda é pouco alcançada. O objetivo é formar uma rede que aproxime consumidores, chefs e cozinheiros dos produtores e que valorize os produtos locais e a cultura gastronômica de cada lugar.
Presente em 170 países, o Slow Food tem conquistado cada vez mais adeptos. Afinal, parece lógico que se defenda a soberania alimentar como um conceito fundamental. Assim como direito à informação sobre o que se está consumindo. Petrini se declarou feliz em ver como a América Latina está ganhando importância nessa defesa, enquanto a Europa – em suas palavras – ainda dorme. Citou como exemplo o Peru, onde Gastón Acurio conseguiu fazer uma revolução gastronômica, elevando a cozinha peruana ao patamar de reconhecimento internacional. E mais: fundando três escolas destinadas aos campesinos.
Mas o Brasil também tem seus méritos, de acordo com Petrini: além de um enorme patrimônio gastronômico, está derrubando o colonialismo à mesa, valorizando a sua cultura e a memória alimentar de seu povo.

Carlo Petrini com o presidente do Slow Food no Brasil e diretor comercial da Prazeres da Mesa, George Schynider


Guia de bem comer

O aplicativo Slow Food Planet é, segundo as palavras de Carlo Petrini, como conselhos de amigos. São dicas de onde comer, de onde comprar e de onde passar o tempo livre seguindo a filosofia do movimento. Disponível em italiano, inglês e português, com download gratuito na Apple Store ou no Google Play, reúne sugestões consideradas imperdíveis por associados, voluntários,  ativistas, colaboradores e dirigentes do Slow Food em todo o mundo.
Será possível pesquisar pelo país ou cidade, pelo tipo de comida, se em restaurante ou na rua,  por produto ou por produtor e até pelo tipo de ambiente que se quer frequentar. O aplicativo está em constante crescimento. Até dezembro deve abranger 60 áreas diferentes. E a previsão é de, em quatro anos, mapear todo o mundo.
Todas as pessoas tem direito a escolher uma área gratuitamente. Os associados do Slow Food podem acessar 10 áreas. Cada área adicional custará U$ 1,99 ao ano. Agora, é baixar e conferir.


       

0 comentários:

Postar um comentário