Jantar em Rivera destaca vinhos avaliados com mais de 94 pontos

Tenho ido com alguma frequência a Rivera, no Uruguai, que faz fronteira com Santana do Livramento. A cidade, mais conhecida dos brasileiros por ser zona de free shop, está sendo vista também como uma boa referência gastronômica.  



No último final de semana, participei de um jantar na loja Le Carroussel, comandada por Fabiana Aguinsky. 



O cardápio, composto de tapas e paella foi harmonizado com vinhos sul-americanos e espanhóis que tinham como característica o fato de terem recebido notas superiores a 94 pontos conferidos pelos reconhecidos Robert Parker e James Suckling.



No cardápio, bruschettas de tomate com aliche uruguaio




Linguicinhas recheadas com queijo, uma tradição uruguaia



Empanadas de cordeiro, outro prato que não pode faltar na mesa do país vizinho



Berinjelas fritas com geléia de damasco e queijo brie



E uma paella perfeita para harmonizar com o vinho espanhol



Os frutos do mar em ponto perfeito, com destaque para a lagosta



E para encerrar duas sobremesas: Mil folhas de doce de leite



E um arroz de leite extremamente cremoso com merengada



Se o jantar apresentou um cardápio delicioso, o que falar dos excepcionais vinhos selecionados por Federico De Moura, 1º sommelier do Uruguai e que foram harmonizados com os pratos?






O Malbec argentino Bramare Lujan de Cuyo Appelation 2011, com notas de ameixas, cassis e amoras negras



O também argentino Cabernet Sauvignon Bramare Marchiori Viña Cobos 2008, com notas de tabaco, cassis e pimenta negra




O Carménère Carmín de Peumo, da Concha y Toro, foi destacado como o vinho ícone do Chile e na taça mostra o motivo da alta pontuação (74 pontos). Traz notas de especiarias e ervas, aroma de cogumelos, frutas negras maduras e um toque de tabaco.



O chileno Seña 2012 é um assemblage com 52% de Cabernet Sauvignon, 23% Carménère, 12% Merlot, 7% Malbec e 6% Petit Verdot. Na degustação, traz frutas vermelhas e negras, toques de especiarias (pimenta negra e noz moscada), cassis, coco e madeira.
Degustamos ainda o chileno Don Melchor Cabernet Sauvignon 2011, que recebeu 95 pontos de Robert Parker e da Wine Specatator. Tendo ressaltados o aroma complexo, que passa pelo cedro, grafite raspado, menta e chocolate, além de notas frutadas de cassis maduro e balsâmica de baunilha, com final de boca que evoca café torrado



E, ainda, o espanhol Vega Sicilia Valbuena 5º 2002, que descansa por 5 anos em barricas de carvalho antes de ir ao mercado. A principal uva desse tinto é a Tempranillo, com presença de Merlot e Cabernet Sauvignon. No Nariz, remete a cerejas pretas, amoras e ameixa, além de toques de café, baunilha e cravo.














0 comentários:

Postar um comentário