Contos Gauchescos, de Simões Lopes Neto, inspira cardápio de jantar

A brasa foi o elemento central do jantar que teve como inspiração a obra do escritor gaúcho Simões Lopes Neto e que faz parte do meu projeto Da Estante à Mesa, que une literatura e gastronomia,  no Instituto Ling. O chef Carlos Kristensen, do restaurante Hashi, foi responsável pelo cardápio e Rodrigo Albernaz, da Porto a Porto, respondeu pela harmonização.



Os participantes foram recebidos com um creme de abóbora defumada.



Em seguida, lembrando o amarrado de lenço do conto O Negro Bonifácio, foi servida a primeira entrada



Lenço de mini pão de milho (perfeitamente assado pelo subchefe Rafael) e patê de fígado de galinha caipira, 



para ser degustado com a espanhola Cava Don Román.




A segunda entrada, ainda em companhia da Cava Don Román, era composta de linguiça artesanal servida sobre brasa acesa dentro de uma delicada lata de sardinha, com geleia de butiá e picles de batata doce.



O primeiro prato, charque de cordeiro dos Pampas e pirão de queijo serrano, harmonizado com o chileno Ekun, da vinícola Santa Carolina, 




foi uma homenagem às charqueadas, que eram a base econômica da cidade de Pelotas, onde viveu o autor gaúcho.



O segundo prato fez referência aos dois produtos mais citados por Simões Lopes Neto em Contos Gauchescos: o churrasco e o mate. Para retratar essas duas paixões dos gaúchos, o chef serviu costela 12 horas desfiada com pirão de feijoada, farofa de mandioca com erva mate, cebola assada e em forma de picles e couve frita.



 Para acompanhar, Rodrigo Albernaz escolheu o argentino Malbec DOC Nieto Senetier.



Na hora da sobremesa, duas apresentações. A primeira uma tábua com queijos (colonial, serrano e da Serra da Canastra) com um cubo de doce de abóbora e um gomo de bergamota desidratado. 



O vinho Justino’s Madeira foi perfeito.



E, para finalizar, frutas assadas na brasa, com cumaru e azeite de oliva.



Um jantar que conseguiu fazer uma releitura das referências gastronômicas presentes na obra de Simões Lopes Neto e que foram apresentadas aos participantes a cada prato servido.



Ao final, o chef Carlos Kristensen, o subchefe Rafael e Rodrigo Albernaz comemoraram o sucesso do jantar com um arremate: pão de milho coberto com as lascas de costelão 12h e um brinde com Malbec.



Uma noite inesquecível, que agradeço aos meus parceiros. O próximo jantar do projeto Da Estante à Mesa será em novembro, terá como tema a obra de Jorge Amado e terá um cardápio elaborado pelo chef Floriano Spiess. Informações pelo site  www.institutoling.org.br




0 comentários:

Postar um comentário