No Parador Hampel, os muitos sabores de um chef sonhador

Diz-se loucos os sonhadores. O chef Marcos Livi, um grande sonhador, com o Parador Hampel, em São Francisco de Paula, derruba essa tese e prova que só realiza quem sonha.



O antigo Veraneio Hampel foi inaugurado em 1899 e fez sucesso por décadas, mas acabou abandonado.




O chef gaúcho, em visita a sua São Chico, pensou em assumir a área de 23 hectares, retomar as atividades, agora com a ideia de um Parador, e transformar o local em um ponto turístico e gastronômico onde predominaria o conceito de reconforto. Muitos consideraram loucura.



Acreditavam que não bastariam as belezas naturais, como as três cascatas, as trilhas ou a tranquilidade do lugar. Seria hercúlea a tarefa de recuperação do prédio e a reconquista de hóspedes.



Marcos Livi, no entanto, sabia muito de grandes batalhas, como as que travou para levar a cultura gastronômica do Rio Grande do Sul para o centro do país, com os seus bares Quintana e Verissimo, o bioma Pampa no Mercado Público de Pinheiros. Expandindo sua ação como chef  na pizzaria Napoli Centrale e no mais novo empreendimento: a delicatessen Officina. Todos em São Paulo.



Estendeu o sonho para os pagos gaúchos e se lançou numa viagem que já mostra resultados. Começa com 19 apartamentos remodelados e que, como não poderia deixar de ser, passa pela boa mesa.

 Café na cozinha





O café da manhã dos hóspedes do Parador Hampel é um acontecimento. Servido na cozinha, ao redor de um imenso fogão à lenha, é composto por delícias feitas no local ou adquiridas de produtores gaúchos.



Imperdível o ovo escondido preparado por Tia Nega, com a gema molinha e que conquista qualquer paladar.



O café é coado direto na xícara.



Entre os muitos sabores, o queijo serrano brilha em parceria com copas e salames coloniais.


Com assinatura do chef


Durante a semana , o serviço é à la carte. Nos sábados (almoço e jantar) e no domingo (o almoço), a cozinha do Parador terá menus fechados, completos, com preço fixo e aberto ao público, mediante reserva. O couvert é composto de pães caseiros, manteiga campeira, nata e azeite de oliva.



Aqui, uma palhinha dos sabores desses menus: copa lombo, mix de folhas, queijo serrano empanado com lâminas de amêndoas, mostarda e mel.




O creme de batata com bacon e crisp de alho poró




Filé Palacius (homenagem ao famoso bar de Curitiba) na manteiga com batata grisé , cebola roxa, ervilha e farofa de ovo pochê.





O rosbife de mignon, mix de folhas, picles, mostarda escura e alcaparras, servido sobre tábua de madeira



Ou o mignon suíno com ragu de linguiça campeira e brotos com polenta mole com farinha de engenho e queijo Mãe Natureza. 



Como sobremesa, panqueca de doce de leite com sorvete de nata



Ou nega maluca com calda de bergamota e sorvete de nata com geleia de pimenta



 

Domingo para confortar




Um exemplo de cardápio especial foi o preparado pelo chef Marcos Livi no último domingo. O raviolone de burrata com gema de ovo caipira e pesto foi um dos pratos apresentados.




O cordeiro assado lentamente, com cebola caramelada, batata doce assada caramelada com açúcar mascavo e flor de sal, cenouras, batatas e cuscuz.



A truta levemente grelhada com jamon, ervilhas e arroz é de chorar no cantinho.




Marcos Livi estará no Parador nos grandes feriados e em todos os finais de semana que conseguir fugir de São Paulo. Mas a cozinha do local está entregue em muitas boas mãos: assume o chef Edu, que durante anos preparou os pratos do restaurante Bah, em Porto Alegre.



Fica aqui o convite para embarcar nesse sonho do chef Marcos Livi, que busca destacar ainda mais a cultura gastronômica do Rio Grande do Sul, com valorização dos produtores gaúchos. 



Um sonho repleto de sabores e de contato com a natureza e que de loucura não tem nada.


Serviço



Parador Hampel
Rua Boca da Serra, 445, em São Francisco de Paula
Fone: 54 3244-1363 








  

  

0 comentários:

Postar um comentário